segunda-feira, 17 de outubro de 2016

Frutas Exóticas - Mamoncillo

Seu nome científico é Melicoccus bijugatus e pertence à familia das Sapindaceas. É uma árvore frutífera,  originária da América Central, Caribe e norte da América do Sul, que pode atingir até 30m de altura. 
Deve ser cultivada em solos bem drenados e a sol pleno, em climas tropicais e subtropicais. È
também conhecida como lima-espanhola, papamundo, huaya, limoncillo ou guaym.
O Mamoncillo é bastante consumido em países da América Central e do Sul, como Nicarágua, Colômbia e Venezuela. Não é muito comum aqui no Brasil, mas pode ser encontrada na Região Norte do país. 
É rica em vitaminas B1, B3, B6 e B12 e quantidades consideráveis de sais minerais, aminoácidos e ácidos graxos insaturados, como oleico e linoleico.
O Mamoncillo  alivia o estresse, fortalece a imunidade do corpo. Suas folhas ajudam no combate ao vídeio do tabagismo e combate distúrbios do sono, devido a grande conteúdo de ferro e fósforo.
Na Nicarágua suas sementes são moídas para eliminar vermes e parasitos. Pode-se consumir a fruta fresca ou em refrescos e sucos. 

Na Colômbia é matéria prima para confecção de refrigerante.
Outros benefícios da fruta são o combate à doenças renais, epilepsia, aumenta imunidade em grávidas, combate gripes, resfriados e febre alta. 

segunda-feira, 10 de novembro de 2014

Frutas Exóticas - Guavira

Também conhecida como Gabiroba, pertence à família das Myrtaceae é um arbusto silvestre que cresce e abunda no Cerrado brasileiro. É originária da Amazônia do Brasil, Colômbia e Bolívia, a Campomanesia lineatifolia pode alcançar até 10 metros de altura. Também conhecida como Gabiroba,  guabirova , guavirova ,  araçá-congonha  tem sabor e aroma agradáveis, de polpa suculenta, doce e levemente ácida. Pode ser consumida in natura ou processada na forma de sucos, doces, sorvetes e compotas. É rica em vitamina C, calcio, ferro e zinco, cálcio, lipídios, etc.  

As folhas da planta possuem algumas propriedades medicinais como a ação anti-inflamatória, antidiarréica e antisséptica das vias urinárias. Na medicina popular, tem sido indicada para tratar desarranjos estomacais, inflamação, reumatismo e infecções do trato urinário.  Pesquisas de laboratório revelaram que seus óleos essenciais encontrados na floração e frutificação apresentam elevada atividade contra Candida albicans e Staphylococcus aureus


segunda-feira, 16 de junho de 2014

Jicama, poderosa para os ossos

Originaria do Mexico, pertence à familia das leguminosas. É um tubérculo pouco conhecido, sendo cultivado em climas quentes da América Central, nas regiões dos Andes, Sul da Ásia.
Pode ser consumida  aos cubos, cortada em palitos finos, crus ou cozidos, em frituras, saladas, salada de repolho, sopa, e com outros vegetais e frutas como laranjas, maçãs, cenouras e cebolas, bem como carnes e frutos do mar. A receita mexicana mais comum  é fatia-las e polvilha-las com pimenta em pó, sal e suco de limão.
O Jicama  promove a saúde óssea, aumentando a absorção de cálcio de outros alimentos, protegendo contra a osteoporose. A inulina tem um papel prebiótico no intestino - que promove o "bom"  crescimento de bactérias que mantém tanto um cólon saudável e imunidade equilibrada. É um ótimo alimento para os diabéticos, sendo baixa em calorias para aqueles interessados ​​na redução de peso. Jicama é também uma excelente fonte de fibras e vitamina C - 44% do valor diário por porção. É um poderoso antioxidante que atua na proteção  contra o câncer, inflamação, tosse viral  e infecções. Além  ​​de potássio, a jicama pode ajudar a promover a saúde do coração, uma vez que os vegetais e frutas com  alto índice de potássio estão ligadas a menores riscos de doenças do coração. Jicama contém vitaminas importantes, como folatos, riboflavina, piridoxina, ácido pantotênico, e tiamina, e os minerais magnésio, cobre, ferro e manganês.
Um estudo publicado no British Journal of Nutrition em 2005 mostrou que os alimentos que contêm inulina, como jicama, reduzem  os riscos de câncer de cólon em vários aspectos, que incluem a redução da exposição, bem como o impacto tóxico de substâncias cancerígenas no intestino, e inibindo o crescimento e propagação do cancro do cólon para outras áreas do corpo. Os cientistas concluíram que a  inulina pode reduzir a incidência de câncer colorretal, quando administrado durante as fases iniciais de desenvolvimento do câncer. 
As sementes maduras da Jicama contêm altos níveis de rotenona, um produto químico usado como inseticida e pesticida.  O restante da planta jícama é muito tóxico . 

sexta-feira, 21 de março de 2014

Frutas Exóticas - Maçã-de-Elefante

A Maçã-de-Elefante (Limonia acidissima L.) é uma grande árvore com folhas longas,  baga  dura e uma polpa marrom pegajoso no interior. É única espécie de seu gênero, da família Rutaceae. É também conhecida como maçã-de-madeira. A casca da maçã-de-elefante é tão dura de quebrar que é frequente o uso de martelo para isso.  Sua polpa pegajosa é  comestível e usada para fazer xaropes, bebidas, geléias e compotas. Outras partes úteis da planta são as raízes e folhas desta árvore que são usados ​​para fins medicinais. 
A casca, folhas, polpa e sementes contem alcalóides, flavonóides, esteróides, saponinas, glicosídeos, mucilagem, resinas de taninos dentre outros.  Em um estudo fitoquimico de partes da planta, constatou-se que a  polpa possuía grande quantidade de proteína e o conteúdo de carboidratos era mais em sementes e casca é rica em aminoácidos. 

Cultivada na Índia e Sri Lanka, assim como em partes do sudeste da Ásia, como Malásia, Tailândia e Camboja. Há muito considerado como um 'alimento do homem pobre' foi apenas na década de 1950 que várias partes da planta começou a ser usadas para fins medicinais. Na Indonésia, a fruta é misturada com mel e comido no café da manhã. Na Tailândia, eles comem as folhas em saladas, enquanto na Índia a polpa é usada em chutneys salgados.

É boa para a digestão. Destrói vermes intestinais e cura disenteria crônica. Misture a polpa madura  com mel e sementes de cominho para tratar a diarréia e indigestão. A propriedade laxante da fruta também resolve problemas de constipação. O Suco da fruta misturado com água morna e açúcar pode purificar o sangue e limpar o sistema digestivo. Ela pode curar o escorbuto, uma vez que é rico em vitamina C. A goma  encontrada na árvore é utilizada para tratar a diabetes. Folhas de maçã-de-elefante pode curar dor de garganta, tosse crônica e outras doenças respiratórias. As raízes da árvore são usadas ​​para tratar dores de ouvido. Cataplasma feito a partir das folhas pode aliviar dores nas articulações.

Comer muito maçã-de-elefante pode resultar em prisão de ventre, flatulência, e outros problemas digestivos. Pessoas com problemas de tireóide também devem  evitar e o seu uso, bem como lactantes.
 

sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

De coração a coração

A alcachofra (Cynara scolymus) é uma hortaliça muito digerivel e bem tolerada. Ela é o que podemos chamar de alimento-remédio. Seus componentes fazem dela uma campeã no combate do colesterol por grudar nas paredes das artérias. Desintoxica o fígado e aumenta a produção de bilis através de sua função colagoga (a bilis segregada após a ingesta da alcachofra, é menos densa propiciando o descongestionamento do figado).

Da família das compostas, é originária da Africa. Possui caule esbranquiçado, grandes folhas verdes, lanceoladas e carnosas. Podem atingir até 80 cm de comprimento. Prefere solos sílico-argiloso-calcário, profundo, fértil e bem drenado. Multiplica-se por brotos, preferindo clima onde a temperatura oscila entre 5 a 30oc. O plantio deve ser feito na época das chuvas, através de mudas obtidas pelo corte dos rebendos que nascem em torno da raiz.

O chá das folhas é tônico, preventivo e curativo das afecções do fígado. É diurética e combatendo o reumatismo, o diabetes, a arteriosclerose, o colesterol, a hipertensão arterial, a tireóide, afecções de pulmões, doenças de pele e asma.

Os "corações" tenros da alcachofra podem ser usados em saladas, temperados com azeite e limão. O ideal é cozê-la no vapor, conservando assim grande parte de seus oligoelementos. Pode também ser assada na chapa ou no forno. Nesse caso, as folhas não devem ser cortadas.

Alguns dos princípios Ativos da alcachofra são flavonóides, taninos, potássio, sódio, cálcio, ferro, magnésio, ácidos (salicílico, fosfórico, caféoico), pectina, inulina, glicosídeos, esteróides e terpenos.

Fontes: Cantoverde.org e Revista Vida ¨& Saúde